Consultoria em Gestão Escolar

“Insanity is doing the same thing over and over again and expecting different results.”

 (A. Einstein)


O universo do Ensino Artístico Especializado, em construção permanente desde a sua génese, desenvolve-se numa profunda ambiguidade. Além da actual instabilidade dos contextos laborais, a profusão de despachos, decretos e demais orientações pedagógicas, transformam com facilidade os corredores das academias e conservatórios em labirintos burocráticos difíceis de navegar na voragem dos dias. 

Neste sector e por força das circunstâncias, a chamada gestão de recursos humanos tem sido sistematicamente negligenciada. No entanto, todos os estudos referem a importância das pessoas dentro das organizações; profissionais acarinhados, motivados e estimulados são mais produtivos, o que se traduz em resultados mais positivos para a organização que os alberga.

Partindo da minha profunda experiência no sector, procuro partilhar uma visão cooperativa na estruturação pedagógica destas escolas: garantindo-se autonomia e espaço para a criatividade a cada um dos agentes educativos, conquista-se uma postura mais responsável e dinâmica por parte de todos os envolvidos.

A liderança na gestão de equipas não tem de ser fonte de clivagens: nutrindo os pontos fortes de cada um e apostando numa formação contínua que aconteça de forma profícua e permita assim colmatar possíveis lacunas, o trabalho pedagógico decorre com maior fluidez e de forma mais salutar. 

Assim, o meu trabalho incide de forma particular em diferentes pontos estratégicos:

  • estruturação de horários;
  • orientação das equipas pedagógicas;
  • gestão de projectos; 
  • planeamento estratégico de implementação na comunidade;
  • direção artística. 

São cada vez mais as escolas a recorrer a gestores externos para solucionar problemas ou potenciar resultados. No entanto, poucas são as que recorrem a profissionais da área para o fazer. Num modelo de duração circunscrita, variável consoante as necessidades, têm aqui a possibilidade de o concretizar. 

Trabalhos publicados:

“Contributo para um caderno reivindicativo do sector” (artigo publicado no Jornal da FENPROF, edição de Dezembro 2019, nº299)

“Realidade à distância ou distanciados da realidade: está o Ensino Artístico Especializado onde o queremos?” (artigo de opinião publicado no PÚBLICO, a 25 de Abril 2020).