“um haiku por dia”

Haiku é um estilo poético tradicional japonês, em que os poemas são compostos apenas por uma frase, onde cabe muita coisa. Quase como se uma frase de 17 sílabas pudesse ser fotografia, cristalizando para sempre um momento de forte pendor poético vivido pelo autor.

Como em toda a literatura nipónica (e, de resto, em grande parte das manifestações artísticas), a Natureza é um elemento preponderante. Dela nasce a justaposição que vinca o carácter profundamente introspectivo destes poemas, relacionando fenómenos sazonais, amplos e vividos como um todo, com outros mais pequenos, que nascem apenas em cada um.

Durante uma clausura forçada a que todos estivemos sujeitos, e num quotidiano saturado pela influência das redes, a justaposição entre a velocidade do mundo a mudar demasiado rápido à minha volta e o (meu) tempo empatado numa espera sem propósitp enquanto arrastava os dias, fez-me buscar esse simbolismo e essa simplicidade.

Assim surge este ciclo, também desenvolvido na Plataforma do Pandemónio.

#1

primavera que desponta
em terra queimada
que sou eu

#2

na alva madrugada
pássaros cantam
a madrugada

#3

o mundo é
terra queimada mas
a ameaça sou eu

#4

tardam muito
as andorinhas em chegar
presas lá longe